Papilografia


A papilografia é, basicamente, um exame que fotografa a retina oferecendo aos oftalmologistas imagens coloridas da papila. Esta estrutura, por sua vez, pode ser entendida mais facilmente como a´´cabeça`` do nervo óptico. Dessa maneira, o procedimento investiga seu formato e o nível de sua escavação. Os especialistas recorrem ao exame para diagnosticar e acompanhar, principalmente, o glaucoma. Todavia, neurites e lesões do nervo óptico, em geral, também são estudadas através da papilografia.

Quando o exame é solicitado?


Como mencionado acima, a papilografia é solicitada, em boa parte dos casos quando o(a) paciente possui suspeita de glaucoma. Afinal, os especialistas necessitam avaliar a rima neuroretiniana (camada de fibras nervosas dos olhos) com o intuito de confirmar se há perda da mesma em algum nível. Quando isso ocorre, a pessoa está passando por um processo de escavação glaucomatosa. Caso seja maior que o normal ou apresente assimetrias entre os dois olhos, possivelmente o quadro já evoluiu para o glaucoma.

Quais são os sintomas do glaucoma?

Primeiramente, é relevante entender que o glaucoma de ângulo aberto não manifesta sintomas. Por outro lado, o de ângulo fechado causa:

▪ Dor nos olhos e na cabeça;
▪ Vermelhidão;
▪ Redução do campo de visão;
▪ Sensibilidade excessiva à luz.

Além disso, a pessoa não consegue delinear com precisão os contornos dos objetos. Diante desses sintomas, é indispensável procurar a ajuda de oftalmologistas para confirmar a doença ocular e realizar o tratamento adequado. Aliás, a falta deste leva à cegueira irreversível.

Como é feita a papilografia?


Após dilatar as pupilas, o(a) paciente deve se posicionar de frente para um aparelho que realiza fotografias digitais da retina. Devido à luz intensa que emite e à dilatação, a visão pode ficar turva por cerca de 4 horas. Portanto, são recomendados o uso de óculos solares e a presença de acompanhante após o procedimento.

Possui indicação médica para exame de papilografia? Agende um horário na Clínica Vittá.

Não deixe de se submeter a consultas de rotina com oftalmologistas para detectar de forma precoce as doenças silenciosas da visão.